ARQUIVO FIO D'AZEITE

O Fio D´Azeite foi formado em 1992, a partir de um trabalho de sensibilização às marionetas e às formas animadas realizado em 1989 pela Associação Cultural Chão de Oliva e orientado, através de cursos de construção e manipulação, por José Carlos Barros, nome-referência do teatro de marionetas e formas animadas entre nós; e ainda por José Ramalho.

Caracterizaram a actividade do grupo desde o início, a nível técnico, o domínio das linguagens tradicionais da “arte da marioneta” e a procura de novas soluções formais para esta milenar expressão teatral; a nível dos temas, revisitação dos contos intemporais, tanto de tradição oral como escrita, assim como de textos de autores que se revelem como fonte de prazer e cúmplices de inquietação (já que não entendemos o aparecimento de novas formas sem o profundo estímulo dos conteúdos), num trabalho de pesquisa onde a figura, a imagem – enfim, a forma plástica – e os textos protagonizam novos significantes.

Ao longo da sua actividade – com destaque para os últimos cinco anos -, foi criado um público, tanto através dos espectáculos em cartaz, como nas inúmeras deslocações feitas às escolas, colectividades, iniciativas de rua, festivais, etc. Além disso, e sempre dentro da perspectiva de consolidar e alargar públicos e não um tipo de público, desenvolvemos acções de sensibilização às marionetas, através de pequenas palestras e Seminários de Construção e Manipulação, tanto vocacionados para o público em geral como vocacionados para Educadores.

Neste percurso, tentamos nunca confundir temas a abordar – e que até agora têm privilegiado um imaginário ligado à infância, mas com projecção para além dos tempos e das faixas etárias -, com técnicas: aqui a nossa preocupação é, para além da aprendizagem do saber clássico, a pesquisa estética nas preocupações artísticas do nosso tempo. Nesta procura continuaremos ter em conta a multidisciplinaridade; a valorização da imagem e movimento; a paridade dos elementos visuais, assim como a extensão às outras artes, como o teatro, a música e a dança, numa pesquisa dinâmica e atenta das artes vivas contemporâneas.