TIREM-ME DESTE FILME!

AUTOR: GEORGE COURTELINE
ENCENAÇÃO: JOÃO DE MELLO ALVIM
ESTREIA: 4 DE MAIO

SINOPSE

Há uma quase certeza que atormenta o nosso quotidiano e furta a simples lógica que lhe competia ou que pensamos “ser normal” que tivesse. A situação é absurda vista, se fizermos o exercício de nos colocarmos “de fora”, já que as situações que constatamos, raiam o absurdo. Há mais de um século, isto mesmo servia de mote a Courteline que, através de pequenas peças que fugiam ao boulevard e se aproximavam do rigor naturalista – e das peças curtas de Tchekhov -, se divertia a retratar o cidadão comum e a descobrir que, quanto mais verdadeiro pretendia ser o retrato, mais caricatural se tornava. As nossas cabeças estão formatadas pela burocracia que questionamos, e mesmo se rompemos com essa formatação e pensamos ter encontrado a vontade de destruir amarras sociais, esbarramos em pequenos tiranos e zelotas, de todas as matizes, que nos amarguram e afunilam a vida.

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

A partir de: Georges Courtline; Encenação: João de Mello Alvim; Dramaturgia: Manuel Sanches; Assistência Geral: Bruno Santiago; Design Gráfico: António Marques; Direcção de Produção: Nuno Correia Pinto; Secretária de Direcção e Produção: Cristina Costa; Mestra Costureira: Fernanda Sebastião; Luz e Som: Marco Lopes; Técnico Auxiliar: Luiz Quaresma; Cenários e Figurinos: Chão de Oliva; Interpretação: Nuno Távora, Tiago Matias, Rogério Jacques; Frente de Sala: Roberto Mendes; Bilheteira: Paula Machado